24 de outubro de 2014  

Brasil


Recuperação da mata ciliar do Rio Ribeira de Iguape (SP) será alvo de campanha
[31/05/2004 09:56]


Reuniões para articular o movimento que deverá ter caráter permanente estão sendo realizadas no Vale do Ribeira, em São Paulo, como forma de contribuir para a sustentabilidade dos recursos naturais da região e para a qualidade de vida das populações locais.


Comunidades remanescentes de quilombos do Vale do Ribeira, a Diocese do município de Registro, a Equipe de Articulação das Comunidades Negras, o Instituto Socioambiental (ISA) e a Fundação SOS Mata Atlântica coordenaram, no último dia 21 de maio, a primeira reunião geral para discutir uma campanha de conservação e recuperação da mata ciliar do Rio Ribeira de Iguape (SP) e seus afluentes. Foi na cidade de Registro e dela participaram mais de 60 pessoas representando instituições da sociedade civil, do estado e de diversas prefeituras da região. Não é de hoje que as comunidades remanescentes de quilombos da região vêm discutindo, em conjunto com o Movimento dos Ameaçados por Barragens (Moab) e a Casa Paroquial da cidade de Eldorado, a necessidade de se implementar ações de recuperação e conservação das matas ciliares dos territórios quilombolas, como forma de contribuir poara a sustentabilidade dos recursos naturais da região e a qualidade de vida da população local.


[clique para acessar mapa ampliado]

Em encontro realizado em abril passado entre representantes de 12 comunidades quilombolas, o Moab e o Instituto Socioambiental (ISA) levantou-se a possibilidade de ampliar a proposta de recuperação e conservação florestal das áreas de proteção permanente (APPs) do Vale do Ribeira, transformando-a em uma campanha permanente regional que integrasse os diversos atores e segmentos sociais que atuam na área. A idéia de promover uma campanha permanente está baseada em dois aspectos fundamentais para a região: a situação de desmatamento e assoreamento em que se encontra o Rio Ribeira de Iguape e seus principais afluentes e a Campanha da Fraternidade de 2004 cujo tema é "Água Fonte da Vida". No encontro do dia 21/5, os participantes decidiram pela formação de uma comissão provisória, que deverá ter representantes do Poder Público federal, estadual e municipal, das empresas e da sociedade civil organizada que atuam na região. Esse grupo deverá elaborar uma proposta consolidada de campanha regional com o objetivo de informar, conscientizar e, principalmente, mobilizar a população local para a proteção e recuperação das Áreas de Preservação Permanente do Vale do Ribeira. Além disso, a campanha terá como meta estabelecer mecanismos de interação com as várias instâncias de governo, empresas e organizações da sociedade civil para formular medidas que possam reverter o atual situação de degradação ambiental.

Além de representar a maior área contínua de Mata Atlântica do país, com 21 mil km2 de um total de 100 mil km2, o Vale do Ribeira é habitado por comunidades indígenas, quilombolas, populações ribeirinhas e pequenos agricultores. É também uma das regiões mais pobres do Estado de São Paulo. Dos 23 municípios que possui, 17 formam a Reserva da Mata Atlântica do Sudeste, que a Unesco incluiu, em 1999, em sua lista de Patrimônio Natural da Humanidade.

 

ISA, Instituto Socioambiental.