26 de maio de 2017  

Índios


Xamãs yanomami promovem reflexão sobre crise ecológica durante encontro
[28/03/2011 18:00]


Entre os dias 22 e 24 de março, 40 xapiri thëpë (xamãs) yanomami se reuniram na aldeia de Watoriki (Demini) a convite do xamã e líder yanomami Davi Kopenawa. A reunião, realizada para fortalecer a tradição xamânica do grupo, propiciou um intercâmbio entre os maiores pajés de diversas regiões da Terra Indígena Yanomami. A reflexão cosmológica dos xapiri thëpë sobre a crise ecológica mundial elaborada durante o encontro teve por objetivo sustentar a mobilização política dos yanomami contra o desenvolvimento predatório dos Brancos e sua ação para a proteção da Amazônia.


Para os Yanomami, urihi, a terra-floresta, não é um mero espaço inerte de exploração econômica (o que chamamos de "natureza"). Trata-se de uma entidade viva, inserida numa complexa dinâmica cosmológica de intercâmbios entre humanos e não-humanos. Como tal, se encontra hoje ameaçada pela predação cega dos brancos. Na visão do líder Davi Kopenawa Yanomami:

"A terra-floresta só pode morrer se for destruída pelos brancos. Então, os riachos sumirão, a terra ficará friável, as árvores secarão e as pedras das montanhas racharão com o calor. Os espíritos xapiripë, que moram nas serras e ficam brincando na floresta, acabarão fugindo. Seus pais, os xamãs, não poderão mais chamá-los para nos proteger. A terra-floresta se tornará seca e vazia. Os xamãs não poderão mais deter as fumaças-epidemias e os seres maléficos que nos adoecem. Assim, todos morrerão."

Os parceiros da Hutukara Associação Yanomami (HAY) na organização do evento foram o Instituto Século XXI e o Instituto Socioambiental.

Para saber mais sobre o xamanismo yanomami ver http://pib.socioambiental.org/pt/povo/yanomami/582.

Imagens do video: Leandro Lima

 

ISA, Instituto Socioambiental.