23 de agosto de 2017  

Brasil


Comitê para Proteção dos Jornalistas (CPJ) divulga texto sobre nova condenação de Lucio Flavio Pinto
[02/02/2013 19:52]


A nota foi divulgada na noite da última quinta-feira (31/1) na qual o comitê considera a existência de uma perseguição legal contra o jornalista paraense Lúcio Flavio Pinto. Na sexta-feira (1º/2), o jronalista divulgou nota ao público


Editor do Jornal Pessoal, Lucio Flavio foi condenado, em 23 de janeiro, a pagar uma indenização de R$ 400 mil à família Maiorana, por danos à honra. Leia aqui o texto do CPJ, organização independente e sem fins lucrativos, com sede em Nova York (EUA), que se dedica a defender a liberdade de imprensa em todo o mundo.

Nesta sexta-feira (1º/2), ele divulgou nota ao público sobre a nova condenação. Leia aqui.

Dos 33 processos movidos contra o jornalista, 19 são de autoria de três irmãos da família Maiorana, proprietária do Grupo Liberal, que edita o jornal O Liberal, em Belém (PA). Catorze desses processos foram propostos em juízo depois que Ronaldo Maiorana, diretor editor-corporativo do jornal, agrediu Lúcio Flávio fisicamente em um restaurante de Belém, em 21 de janeiro de 2005.

Processado também pela consrutora C.R.Almeida, o jornalista teve um recurso especial negado pelo Superior Tribunal de Justiça alegando erros formais na formação do agravo, apontando entre outros itens, falta de documentos. A decisão foi do presidente do Superior Tribunal de Justiça, Ari Pargendler. O motivo do processo foi uma matéria publicada no Jornal Pessoal, em 1999. Nessa reportagem, Lucio Flavio denunciava a grilagem de terras praticada pelo empresário Cecílio do Rego Almeida, dono da C.R.Almeida.

Por conta desta condenação, iniciou-se um movimento de apoio ao jornalista que publica um blog denominado Somos todos Lúcio Flavio Pinto.

 

ISA, Instituto Socioambiental.