"Índios no Brasil":
construindo imagens e
desconstruindo estereótipos

 

por Valéria Macedo

 

TV Escola exibe nos dias 14 e 15 de agosto a série de vídeos que mostra como vivem e o que pensam diversas comunidades indígenas do país

 

Em momento de ressaca da "festa" dos 500 anos, chega em boa hora a série de vídeos Índios no Brasil. Identidade, línguas, costumes, tradições, a colonização e o contato com o branco, a briga pela terra, a integração com a natureza e os direitos conquistados são os temas enfocados na série produzida pela ONG Vídeo nas Aldeias para a TV Escola.

Índios no Brasil é dividida em dez programas, de aproximadamente 20 minutos, nos quais a questão indígena é abordada visando enriquecer o currículo escolar, romper estereótipos e inverter papéis, já que não apenas os índios são objeto de investigação, mas a própria sociedade não indígena ocupa o lugar do "outro".

A iniciativa representa um salto qualitativo nas produções do gênero, por seu alto teor informativo e principalmente pelo argumento que perpassa a dezena de episódios. A intenção foi flagrar o descompasso entre a imagem de um índio genérico cristalizada no imaginário dos brasileiros e a realidade de vários grupos indígenas, que estão cada vez mais articulados politicamente e mobilizados para garantir o exercício de sua identidade cultural. Para isso, têm sido necessário dominar os códigos da sociedade não índigena, não para ser iguais, mas justamente como recurso para a manutenção de sua diferença.

Dessa maneira, os vídeos mostram que, se o índio não é coisa do passado, a possibilidade de isolamento cultural certamente é. E nem por isso é preciso sucumbir aos modelos hegemônicos ditados pela sociedade industrial. O que se observa é um desenvolvimento desses povos, tanto numericamente – eram 150 mil em décadas passadas e hoje são cerca de 350 mil – quanto no resgate de suas terras, línguas e rituais. A série não deixa dúvidas: são sujeitos atuantes e, mais do que nunca, atuais.

Apresentada pelo líder indígena Ailton Krenak, Índios no Brasil faz um painel dos costumes, valores e perspectivas de índios de nove povos dispersos no território nacional, escolhidos entre mais de 200 etnias: os Ashaninka e Kaxinawá do Acre, os Baniwa do Rio Negro no Amazonas, os Krahô de Tocantins, os Maxacali de Minas Gerais, os Pankararu de Pernambuco, os Yanomami de Roraima, os Kaiowá do Mato Grosso do Sul e os Kaingang do sul do país. Os entrevistados são professores ou líderes de organizações indígenas e, por isso, bastante convincentes e articulados. Em suas falas transparece a recusa em encaixar-se nesses modelos construídos ao longo de 500 anos de invasões, exploração e, não raro, etnocídio.

A exibição será feita pelo canal de sinal aberto para parabólica da TV Escola, nos dias 14 e 15 de agosto, às 7:00 horas da manhã, com reprises às 9:00, 13:00 e 17:00 horas, para mais de 50 mil escolas em todo o país. É a oportunidade para todos que tenham interesse pelo assunto gravarem os dez programas. Alunos e professores poderão então ampliar seus conhecimentos e desfazer preconceitos a respeito da questão indígena no Brasil. Afinal, como afirmou Krenak, "só se passa a ver o outro com respeito quando se conhece o outro". >>> Continua

 

 

Tópicos deste artigo

>>> Abertura
>>> Ficha técnica

Vá para a home page do ISA Outras edições Envie-nos a sua mensagem Lançamentos Resenha Cartas Alta Costura Editorial